quinta-feira, 16 de maio de 2019

Vendi meu carro!

Simples assim... não me recordo se já comentei aqui no blog porém como estou morando com minha namorada e passei a utilizar fretado para ir ao trabalho acabei decidindo por vender meu carro (e tacar tudo nas opções). Sem falar que minha namorada tem um carro também, então caso aconteça alguma emergência podemos utilizar o carro dela.

Acabei entregando o carro por R$ 50.000,00. O carro estava anunciado por R$ 52.000,00 e depois negociar com o interessado acabei abaixando mais R$ 2.000,00 referente a reparos de funilaria que era "necessários" no carro e como meu pai tinha "parte" do carro pois peguei cerca de R$ 20.000,00 com ele na época da compra acabei devolvendo R$ 10.000,00 e ficando com os outros R$ 40.000,00 que deverão aparecer no próximo fechamento

O valor de tabela do carro no ultimo mês era R$ 54.000,00 já com seus 5 anos (modelo 2014) porém o mesmo já estava com 82000 KM e queira ou não temos essa cultura de que carros com 100000 KM perdem muito valor.

Comprei o carro em 2017 pois estava pegando estrada semanalmente e queria um carro mais seguro, comprei com 55000 KM e paguei algo em torno de R$ 57.000,00. Acredito que gastei algo em torno de R$ 10.000,00 em manutenções e revisões, fiquei cerca de 2 anos com o carro, então acho um valor "justo" de R$ 500,00 mensais de manutenção para um carro desse tipo.

A conclusão é clássica, carro não é investimento, é um passivo, um bem de consumo e como estou em uma fase mais tranquila, faz mais sentido transformar esse passivo em um ativo do que manter o carro na garagem para usar basicamente de final de semana.

É isso... estamos na reta final do vencimento das opções (já desmontei o primeiro lançamento e vendi algumas PUTS com o dinheiro do carro), acredito que para o próximo mês o retorno do lançamento de opções deve ser bem menor devido ao preço dos ativos estarem abaixo do meu preço médio.

sábado, 11 de maio de 2019

Primeiro "miss click" dentro do app da corretora

Olá pessoal.

Mais um pra categoria de desabafos.

Estava acompanhando o mercado na expectativa de recomprar as opções de ITSA4 que lancei porém não estava no computador pois havia saído para almoçar.

Foi quando eu tive a brilhante ideia de acessar o app da corretora que estou utilizando para lançar uma boleta de compra por R$ 0,01. Pensei:

"Esperar uma hora para lançar a boleta? não mesmo.. vou abrir esse app aqui que eu nunca utilizei... deve ser fácil..."

Alguns minutos depois, no desespero de não encontrar o botão para lançamento de ordem (alo UX, que trabalho ruinzinho em?) acabei visualizando um slicer escrito "boleta turbo" e pensei:

"É  isso que eu quero.. boletas né? mas o que deve ser esse turbo? bom.. deve ser mais rápido...""

Para minha surpresa ao desbloquear a boleta turbo um botão de zerar posição apareceu na tela e eu pensei:

"zerar? estranho.. eu queria só lançar uma boleta... bom... provavelmente o app peça alguma confirmação/senha ao clicar nesse zerar posição..."

Apertei o botãozinho e.... para minha surpresa (nem tanto.. já sentia o cheirinho de cagada) o app recomprou as opções ao preço do mercado hehehe... menos mal que o mercado estava vendendo por R$ 0,03, porém dentro do volume comprado, isso significa R$ 140,00 a menos no meu fechamento (mais uma lição cara aprendida).

É isso... quando voce tiver duvida de como realizar algo na ferramenta desenvolvida por alguém, o melhor caminho é perguntar para alguma pessoa habilitada para isso.


quarta-feira, 1 de maio de 2019

Fechamento Abril 2019: R$ 126.243,88 (+R$ 128.929,02 ou +2,13%)

Seguindo para o fechamento de abril, acredito que este seja um fechamento diferente pois estou aplicando um "jogo de números" uma vez que foi necessário adiantar um valor do cartão de crédito para comprar as passagens do intercambio que irei fazer em julho (como comprei a minha e da minha esposa, devo receber esse dinheiro nos próximos meses).

Um mês "OK", utilizando esse jogo de números batemos a meta de 2% ao mês sem a realização de aportes fora do padrão e ainda estou negociando a venda de um equipamento portanto pode ser que nos próximo fechamento tenhamos uma alta no aporte.

Mercado RV andando de lado, estou 100% em ITSA4 aplicando a estratégia de rentabilizar a carteira com o lançamento de opções, por mim ela poderia ter essa volatilidade de 4-5% e andar de lado para sempre hehehe.

Vamos aos números.




E nossa pequena porém valente terceira linha gerada exclusivamente hoje pela nossa estratégia de opções.


Para fechar, estou pensando para os próximos fechamentos em gerar uma "linha da IF" que seria a renda liquida gerada pelos investimentos e as despesas essenciais uma vez que a linha de despesas hoje possui coisas meio fora da normalidade como as multas que tive na troca de moradia, mobilia, compra de equipamentos etc.


segunda-feira, 15 de abril de 2019

Consolidação da estratégia de opções 2019-03

Já na nova corretora, não tenho visto muita vantagem em contar com um assessor, o escritório me fornece relatórios de investimentos de todas as casas (basta solicitar) e operações estruturadas caso eu tenha interesse porém não vi muita vantagem em estruturadas uma vez que a ideia é possuir o ativo e ter em carteira "para sempre" caso algum imprevisto aconteça, essa foi a principal razão de mudar o ativo dos lançamentos, é algo que ainda preciso estudar.

Como comentado em posts anteriores, aumentei minha posição em ações, a ideia é ter um "salário" (lembra da tal da terceira linha?) extra mensal com os prêmios das opções, para isso, preciso vender sempre acima do preço médio do ativo.

Vamos aos movimentos.

Primeiro movimento foi a "realocação/troca" da operação do mês anterior, nada de novo.


Segundo movimento, o resgate do multimercado foi pago e eu aportei em mais ITSA.

Terceiro movimento, recompra das opções fechando com chave de ouro.


A rentabilidade foi "afetada" pela segunda operação pois ela já estava praticamente na metade de da Theta. Ainda assim, a primeira operação teve um retorno bruto de 2,6% enquanto a segunda operação um retorno de 1,3%. As operações em conjunto dariam um retorno bruto de 1,9%. O retorno liquido da operação fica em torno de 1.5% após custos e IR.

Não cumpri a meta de 2% ao mês porém fui agraciado no dia seguinte com o lançamento da nova serie, consegui realizar a venda na máxima do dia, antes da noticia do presidente barrar o aumento da PETR e a bolsa despencar. Tal lançamento garantiu 2,95% bruto para o próximo mês ou algo em torno de 2,5% liquido.


sexta-feira, 12 de abril de 2019

Consolidação da estratégia de opções 2019-02

E não é que acabei esquecendo de postar o fechamento do exercício passado?

Por isso, vamos direto aos movimentos realizados de forma resumida utilizando o software IRPFbolsa.

A ideia de realizar menos operações e assim gastar menos tempo com tomadas de decisão começou a ser implantada. Realizamos também a experimentação do lançamentos de PUT que foi algo novo.

Como é possível verificar, três movimentos foram realizados. Movimentos ATM tentando priorizar o prêmio.

Na data de exercício, fomos exercidos na CALL da CMIG e não fomos exercidos na PUT de ITSA.

Em minha consolidação, cheguei ao rendimento de R$ 1.519,90 para um valor investido de R$ 41.700,00. Em percentuais estamos falando de 4,3% bruto (antes do IR) ou 3,6% liquido.

A ideia para o próximo vencimento será mudar o ativo e a corretora, para tentar ter o suporte de um assessor e certa "segurança" em um ativo mais "confiável" pois estarei migrando toda minha carteira para ações.

sábado, 6 de abril de 2019

Fechamento Março 2019: R$ 126.243,88 (-R$ 3.428,22 ou -2,64%)

Mais um fechamento, porém o primeiro negativo, não foi desvalorização dos investimentos ou algo relacionado a eles, simplesmente precisei pagar umas contas que ja estavam planejadas a algum tempo. Resolvi comprar um PC e os gastos do AP continuam influenciando os fechamentos.

A troca de corretora está sendo interessante do ponto de vista de conhecimento/produtos do mercado. Por exemplo saiu uma análise de uma "IPO" de um FI e bastou solicitar ao meu assessor que o mesmo compartilhou comigo.

O sentimento de pagar 20 por ordem não está doendo tanto, talvez na apuração dos resultados as opções eu tenha um sentimento mais doloroso.

Vamos aos números.






Também irei acompanhar as "três linhas" que são renda ativa, despesas e renda passiva para de certa forma começar a analisar o quão financeiramente independente eu sou.







segunda-feira, 18 de março de 2019

Eu não sei apurar os impostos das minhas operações! 3

Já virou rotina descobrir o funcionamento das opções durante o andamento, como disse em posts anteriores, tenho essa mania de pesquisar sobre algo e achar que já sei de tudo.

A nova descoberta foi após questionar o software IRPFbolsa, sobre o preço médio de um ativo que se mostra diferente no broker da corretora que eu utilizo e no software. Recebi a resposta que o preço é influenciado pelo premio das opções por isso a diferença entre o broker e o software.

Pesquisando sobre encontrei um artigo interessante.

"12/04/2012.


A alíquota de IR devida é de 15% como no mercado a vista (“day trade” é 20%). O imposto é apurado mensalmente e pago até o último dia útil do mês subsequente através de DARF com o código 6015. Há também um imposto de IR retido na fonte de 0,005% que pode ser incluído como despesas da operação.

O cálculo do imposto pode ocorrer na negociação da própria opção. Nesse caso, o imposto incide sobre o resultado positivo apurado no encerramento de opções da mesma série. 

Caso haja exercício da opção de compra, ocorrem duas situações. Para o titular da opção de compra, o imposto incide sobre a diferença positiva entre o valor da venda a vista do ativo na data do exercício da opção menos o preço do exercício acrescido do valor do prêmio.

Para o lançador da opção, o imposto é calculado sobre a diferença positiva entre o preço de exercício da opção, acrescido do valor do prêmio e o custo da aquisição do ativo-objeto da opção. No caso do exercício da opção, a isenção para venda de até R$ 20 mil por mês passa a valer, pois a operação de opção passa a ser uma operação de mercado a vista."

O que isso significa? 

Primeiro que o post é bem antigo, então acredito que essa ultima parte sobre a isenção dos R$ 20.000,00 na venda não é mais valida.

Segundo que caso haja exercício de uma opção, o premio entra na conta do preço médio do ativo. Por exemplo quando fui exercido em uma PUT que havia vendido com strike de R$ 13,88 e havia recebido o premio de R$ 0,16 o preço médio do ativo é R$ 13,72.

Sempre pensei que os mercados não se misturassem, por exemplo os prêmios não entrassem na conta de preço médio do mercado a vista, porém aparentemente estava enganado.